Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ritoca Bomboca

Ritoca Bomboca

16
Mar15

Tu devias saber isto, antes de nós...

Antes destes nossos 7 anos.
Não soubeste, mas mesmo assim apaixonaste-te por mim, dizem que muito antes de estarmos juntos já o eras. Não acredito bem nisso, seria até pouco modesto da minha parte, mas sei que já te fazia fervilhar o sangue, tal como fervilhava o meu quando te via passar. Por mais que não fosse pela ideia que já me tinham colocado na cabeça, "aquele é o I., é mesmo giro não achas?!". Sim, acho. A verdade é que naquela noite quente de Julho, por incrível que pareça eu sabia que teria alguma coisa contigo, mas estava longe de saber que serias o amor da minha vida, não o meu primeiro amor, mas o meu amor para sempre!
Mas eu não te avisei, nem tão pouco demonstrei que não seria fácil, que não sou fácil, chegando muitas vezes a roçar o insuportável, também não me avisaste que me amarias mesmo assim.
Não te disse que sou inconstante, nem que falo muito alto quando estou irritada, e são tantas as vezes em que estou irritada. Não sabias que tenho falta de paciência, ou que sou extremamente ansiosa, a grande parte das vezes por antecipação, e eu também não sabia que quando me falta a paciência, tu terias pelos dois, nem sabia que quando estou irritada serias a única pessoa que consegue realmente acalmar-me, ou por vezes irritar ainda mais quando dizes o maldito "tem calma". 
Tu devias saber que eu não tenho sempre bom ar, que muitas vezes me apetece andar maltrapilha, despenteada, com aquele carrapito que tu não gostas, e mesmo assim brincas e dizes que pareço uma sopeira. Gosto ainda mais de ti por isso, porque és sincero.
Tu devias saber que eu faço o que eu quero, antes de te apaixonares por mim devias saber que quem comanda a minha vida sou eu, mesmo quando os outros dizem que estou errada, ou dizem para não o fazer, eu faço à mesma. Agora sabes, e o incrível é que apoias sempre qualquer decisão que eu tomo, incentivas mesmo que aches que não me vou sair tão bem quanto queria, mesmo quando corre mal, mesmo que saibas que vai ser em ti que vou descarregar, o incrível é que tu deixas, permites que eu descarregue, e ainda dizes "eu sei que estás a resmungar e não é comigo, mas vá, chora, faz bem". Também sabes que eu tenho o meu mundo, que aprendi desde pequena a ser um pouco solitária, muitas vezes a minha companhia basta-me, e aceitas isso, permites que esteja na minha bolha. 
Tu devias saber que eu não me dou pela metade, que detesto tempos mortos, que estou sempre a planear o fim-de-semana. 
Devias saber que eu dou tudo pelos meus amigos, e que não digo isso para ficar bonito, não é uma daquelas tangas que todos dizem. Agora sabes e o mais incrível é que gostas tanto deles quanto eu.
Também devias saber que tenho a minha história, e que nunca a vou colocar de parte, porque afinal de contas faz parte de mim, de mais ninguém. Agora sabes, não gostas quando falo disso, bem sei, mas permites que o faça.
Não sabias que o FCP é o melhor clube do mundo e que o Bruno Alves é o melhor jogador, agora sabes!
Devias saber que eu sou sempre pela família, sempre, que é com eles que me sinto bem. Agora sabes, e ouves vezes sem conta as mesmas histórias, deixas-me falar dos meus avós, das saudades que sinto deles, mesmo que tenhas ouvido as mesmas histórias vezes sem conta; deixas-me falar dos meus primos, sabes o nome de todos, e o que sinto por eles.
Também devias saber que gosto de comer, gosto mesmo muito de comer, que não fico bem só com uma folha de alface, ou com sementes. Agora sabes, acompanhas e somos os los lateiros.
Tu devias saber que eu falo muito, pelos cotovelos, que regateio e coloco a mão na anca, agora sabes e o certo é que ainda não fugiste.
Também devias saber que sempre que saio à noite sem ti, vejo a tua cara nos outros, e penso na sorte que tenho em ter-te na minha vida. Sabes só que aquilo que eu sou quando tu estás, também sou quando tu não estás. 
O certo é que eu também não sabia que tu serias o meu para sempre, não sabia que o 2016 poderia realmente acontecer, mesmo que seja em 2018 ou 2020.
Não sabia que não aconteceu nada naquela noite no Porto, na Picaria, ou naquela noite no Vogue, ou em todas as outras vezes em que trocamos mensagens, ou saímos juntos sem ninguém saber, porque não era o dia, nem a hora para que tal acontecesse. Não sabia que só 8 anos depois de tanta coisa, só no dia 16 de Março de 2008 ficaríamos juntos. Não sei ainda se a treta do destino existe, sei que tem de existir alguma coisa.
Não sabia que te iria amar mesmo quando tu me irritas, nem sabia que iria gostar tanto da nossa história e contá-la vezes sem conta, sempre com o mesmo sorriso.
E também não sabia que te tornarias na parte vital do meu mundo.
Não sabia que dançarias Kizomba comigo em cima da cama, mesmo dizendo que não sabes dançar, e estava longe de saber que alinharias nas minhas parvoíces, o nosso topas!
Agora sei, sei que és o meu amor maior! Para sempre e mais dois dias!
Nós, é mais sete?
13
Mar15

Macacão Cristina Ferreira

Ah e tal é um Stella McCartney. Pois é Srs., mas como se não bastasse ser feio nas horas, ainda tinha de custar quase €2.000,00!
Não Cristina, desta vez não gostei mesmo!


Fotos retiradas aqui
13
Mar15

Diz que vem aí a época dos "mal-vestidos"...

Sim, essa mesmo. Aquela em que vemos um sr. de casaco de penas e uma sra de sandálias, uns têm frio, outros têm calor. O problema, no meio de tudo isto, é que não sabemos o que vestir. Vai daí decidi dar as minhas modestas dicas, das peças fundamentais que devemos ter para esta mudança de estação:

Casaco de malha

Sweat
Botins
Vestido com manga
Blazer fluido

O belo biker

Vans slip
Slip on sneakers
New Balance

New Balance





12
Mar15

Do poder da educação...

A nossa base é e será sempre a mesma, a educação que tivemos, a forma como somos educados. Não são raras as vezes que ouço alguém dizer "x e y são irmãs, foram educadas da mesma forma e são tão diferentes", pois lá está, depois a educação conjuga-se com a personalidade, com os gostos, as vontades, os quereres de cada um.
Numa das entrevistas da revista Cristina, a Procuradora da República diz algo como "eu lembro-me de determinadas histórias que os meus pais contavam e a minha irmã não". 
A propósito de um "desabafo" que li aqui, também eu pensei nessas bases, na forma como me educaram. 
Educaram-me de forma a não ser muito carinhosa, não tenho por hábito o toque, os beijinhos, os abraços. Algo que eu quero ter com os meus filhos, algo que eu tento mudar, contrariar, porque não fui de todo habituada a dar beijinhos e abraços aos meus pais. Sei que com o meu pai tenho mais cumplicidade, sou menina do papá, é sempre a aprovação dele que procuro, e não são raras as vezes que lhe dou um safanão carinhoso, talvez seja a minha forma de lhe dar um abraço.
Também me educaram de forma a não mostrar muito os meus sentimentos, o que estou a sentir, porque eles foram habituados assim, fazem o mesmo. Algo que, mais uma vez, também quero contrariar, porque quero que os meus filhos partilhem aquilo que estão a sentir e saibam que o podem fazer.
Depois disso há aquela característica que fui buscar ao meu pai, de parecer estar sempre bem. Fui educada a desenrascar-me, a ser forte, a levar muitas coisas aos ombros, para a frente é o caminho. Sempre consegui é certo, mal ou bem, consegui. Mas há uns pesos maiores que outros, há fases mais duras, há problemas mais graves, mas fui educada a enfrentar os problemas de frente, a ter força por mim e pelos outros. 
Tudo isto se retrata por exemplo num facto, a maior parte dos meus amigos não me pergunta "como estás". Se isso me afecta?! Tem dias, quando estou naquela fase de "carregar o mundo", mas nos restantes, não me afecta de todo. 
Acho que sou daquelas pessoas que os outros sabem que podem contar. Se isso é bom, ou mau, nunca saberei, sei que é esta a minha natureza. 
11
Mar15

Bitchface...




Já cantava a Gabriela "eu nasci assim, eu cresci assim..."! É verdade.
Uns têm de fazer um esforço enorme para conseguirem uma "bitchface", outros, que é o meu caso, nasceram com ela.
Não são raras as vezes que ouço "afinal até és porreira, é que esse ter ar, ou esse teu nariz empinado", são várias as fotos que retratam essa bithface, basta estar normal, e em determinado vídeo em que apareci soltei mesmo um "ai que cara de nojenta"...
Ora bem, podem existir alminhas que gostem de ter esse ar de cabra, eu não gosto, mas tenho, não posso realmente fazer nada. Já me chateou o facto de me dizerem isso inúmeras vezes, agora, sinceramente, é para o lado que durmo melhor.
Tudo isto, apenas para dizer: bitchfaces desta vida estamos juntas!