Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ritoca Bomboca

Ritoca Bomboca

04
Mai17

Qual a vossa segunda cidade?!

A propósito de uma publicação linda da Ursa, que podem ler aqui dei por mim a pensar na minha segunda cidade, ou então num dos meus sítios, sem "razões nem raízes", tal como refere a Ursa.

Falo de Portimão e da sua Praia da Rocha. Durante anos sentia um não sei explicar de emoção e de cheiros assim que lá chegava, hoje continuo a sentir esse cheiro, mas acho que já consigo identificar.

Portimão cheira a infância, a memórias. A Miramar, Júpiter ou Mar Azul. Portimão cheira a sardinhas na Ponte, com feiras do livro e passeios com o Pai.

Portimão cheira a primos, a sorrisos e a gelados. A ingleses e piadas. Portimão cheira a felicidade. A cabelo branco do sol, a sardas salientes, a mimo.

Portimão cheira a água salgada, amizades de Verão e frango com muito picante.

Cheira a passeios em família, a momentos tão nossos que de certeza perduram no coração de todos nós.

Cheira a Katedral, a vontade de ser mais crescida para poder ir com eles, mas adormecer no sofá, com o cansaço que os dias de praia provocam em crianças, perante promessas de "hoje vais connosco", antes que eles saíssem de casa.

Portimão cheira a tios, a banda desenhada e a comida sempre pronta.

Portimão cheira a Sr. Florindo, cheira a sonhos e a vaidade, a tranças no cabelo, a escorregas na praia, a felicidade.

Fui sempre feliz em Portimão. Com os meus. Com os nossos 15 dias de Agosto em que tudo era simples e fácil como adormecer com o som do mar após uma bola de berlim sem creme e um mergulho com medo do peixe aranha.

"Sem razões, nem raízes" porque Portimão escolheu-me para ser feliz ali, com laços invisíveis e eternos.
02
Mai17

Cada um dá o que tem!

Perdemos muito, ou demasiado, tempo a pensar "porque é que ela me disse isto?!"; "porque é que ele agiu assim?!" e muitos mimimis à mistura.

O certo é que cada um dá o que tem.

Ora, também é certo que se a pessoa se sente miserável, o que te vai transmitir?! Pessimismo, sentimento de derrota ou até a sensação de que todos me devem e ninguém me paga.

Da mesma forma que quem está de bem com a vida, quem é optimista, quem prefere ser contente do que ser triste, o que distribui aos outros?! Paaaash, isso mesmo, boa onda, felicidade, coisas boas.

Não sou o Gustavo Santos, mas sei que isso é verdade universal.

Portanto, esqueçam lá nos invejosos, que estão sempre ranzinzas e de mal com o mundo e não percam demasiado tempo com isso, porque cada um dá o que tem.




02
Mai17

"Levo um saquinho de sarapilheira!"





"E com ele sambo na cara das inimigas", diz a Kendall.


De salientar que está no Met Gala, cujo tema este ano foi em homenagem a Rei Kawakubo, uma designer japonesa que criou a marca Comme des Garçons que tem como "slogan" "wear your freedom".

Vai daí Kendallzinha não foi de modas e foi mesmo com tudo à fresca.

Pág. 3/3