Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ritoca Bomboca

Ritoca Bomboca

28
Jan12

A minha história de Amor!

Ouvi falar do I., mesmo sem o conhecer, estava no 9º ano e uma amiga de infância que já o tinha visto, comentou a existência de um rapaz giro, desportista, que frequentava a secundária para onde íamos.
Pelo que me contou mais tarde também ele ouviu falar da "loira de Allpeville que iria para a Secundária".
O certo é que numa das noites de sábado no bar mais frequentado da altura fomos apresentados e a partir daí fomos trocando mensagens, típicas da idade e das intenções de cada um. Mas nada mais do que mensagens.
Conheci outra pessoa por quem me apaixonei e o I. também tinha namorada!
Passaram dois anos, estava eu no 12º ano e não sei bem como ambos tinhamos terminado as relações anteriores e as mensagens voltaram.
Até ao dia em que fui ao Porto com uma amiga. Ele já estava na faculdade. Como tinhamos amigos em comum, combinamos uma saída  juntos e várias promessas foram trocadas via mensagens, o nosso único meio de comunicação até então, mas não sem antes a T. me alertar "cuidado que o I. está envolvido com a M." confesso que não quis acreditar, isto é, preferi pensar que embora essa possibilidade existisse eu seria a preferida.
Quando chego ao Porto, encontro-me com todo o grupo com quem iria sair nessa noite no qual estava o I. com a M. e era notório o clima existente entre os dois.
Fui ignorada e ignorei, não sem antes ouvir da boca de um dos melhores amigos dele "esquece, o I. nunca irá namorar contigo".
O tempo passou, também  fui para a faculdade, conheci novas pessoas, novas experiências, o certo é que  o I. estava sempre por perto. Ou saíamos à noite para os mesmos sítios, ou recebia uma mensagem dele, esporadicamente.
Passados vários anos, as mensagens voltaram em força, mas além disso, até porque a idade não era a mesma, marcamos o primeiro café, num dos dias em que ele estava no Porto. Depois do primeiro alguns foram sucedendo quando a disponibilidade assim o permitia, nunca ficando claro para mim, quais as intenções do I., o que queria, o que sentia ou o que pensava, a frase que ficava na minha cabeça no final de cada café era sempre a mesma "mas o que é que este quer?".
Nunca obtendo respostas a essa questão optei  por outro caminho, que foi  uma das piores escolhas da minha vida!
Claro que o I. "desapareceu".....
Até ao dia em que percebi que tinha cometido o maior erro até então e percebi com quem queria estar.
Mas as palavras que o amigo tinha proferido, há vários anos atrás, não saíam da minha cabeça, assim como o facto de pensar que seria tarde de mais!
Mas decidi arriscar...
Como não podia deixar de ser, com uma mensagem, com qualquer coisa disparatada, enviando depois " desculpa a mensagem não era para ti"...
Assim, não com a mesma desculpa, mas com outras as mensagens iam surgindo, começaram semanalmente, passando a ser diárias.
Num sábado à noite, com muita animação à mistura, surgiu o primeiro beijo! E tão bom que foi o 1º beijo. Estávamos em Janeiro, mas depois disso, não sabíamos bem como agir, o que fazer, "estavamos a namorar?" "o que está acontecer?"... As conversas continuavam, as saídas, mas agora  quase sempre com amigos à mistura.
 Três meses depois, no dia 16 de Março de 2008 ouvi o tradicional e lindo pedido "Queres namorar comigo?"
Estamos juntos há 4 anos e o I. é sem dúvida "O" amor da minha vida!

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.