Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Ritoca Bomboca

Ritoca Bomboca

10
Abr13

Dos irmãos....



A Comercial decidiu celebrar o dia dos irmãos e o incrível foi que várias pessoas ligavam para "mimar" não só os irmãos de sangue, mas também os de coração.
Eu tenho alguns de coração, a dada altura da nossa vida percebemos que são menos do que pensávamos, mas estão cá, além deles tenho um de sangue, o meu irmão.
Não é perfeito, eu também não sou, mas é meu, é orgulhoso, divertido, bem humorado, teimoso, casmurro, não consegue expressar o que realmente sente, amua, é chato, mas é meu irmão,sempre protector, por vezes maçador (todos os namorados têm defeitos), sempre a criticar o salto alto, a maquilhagem, mas ele pode criticar, aliás eu também posso criticá-lo, agora os outros é que não, aí não dá, não aceito, não gosto e não permito.
Fazemos 9 anos de diferença e está bom de ver que nem sempre fomos os melhores amigos, até porque quando ele já pensava em namoradas, em festarolas, eu ainda brincava com bonecas, era a chata da irmã mais nova. Agora é diferente, embora sejamos orgulhosos, sem nunca reconhecer que o outro tem razão, aliás tenho por hábito criticar tudo o que ele diz, mesmo quando concordo ... parvoíce, é o que é, mas é um dos meus amores.
Em relação aos de coração, a minha prima A. L é  como se fosse minha irmã de sangue, a minha infância foi com ela, ela foi sempre o meu exemplo, se fazia um penteado, eu também tinha de fazer, se ouvia Kelly family, eu também ouvia, facilitava os meus primeiros namoricos, foi e é a minha irmã mais velha.
A T. foi durante muito tempo, a par da A. L, a minha única irmã de coração, a minha confidente, porque para ser irmã não precisa ser de sangue, estamos muito longe uma da outra, mas é sempre igual o que sinto, está sempre presente, e quando não se é irmão, quando se é apenas amigo, colega, ou conhecido, a distância atrapalha, a distância apaga, mas com ela isso não acontece. A T. vai casar e por vezes, dado o empenho,a dedicação que sinto em relação a isso, em relação a ela, tenho de parar para pensar "calma lá que tu não és irmã dela, isso cabe às irmãs", mas confesso que isso é momentâneo, porque quero que corra tudo tão bem quanto correu no casamento do meu irmão.
Actualmente a L. faz mais esse papel, porque está cá, porque estamos perto, porque falamos todas as semanas, porque partilhamos sentimentos, vivências, problemas, porque estamos aqui uma para a outra, porque podemos contar sempre uma com a outra, são as duas irmãs de sangue e minhas imãs de coração.
Resumindo, tenho quatro irmãos e a eles desejo um Feliz dia do irmão, eu estarei sempre por cá, a gostar de vocês, mesmo quando não gosto, mesmo quando me aborrecem, porque no final de contas somos irmãos.